Beato Padre Francisco de Paula Victor

Celebramos neste bendito dia 23 de setembro a memória litúrgica do Beato Padre Francisco de Paula Victor, sacerdote diocesano que por 53 anos foi zeloso e santo pároco da Paróquia de Três Pontas, MG. Para a Diocese da Campanha é Festa litúrgica, dia de glória e de reafirmar a nossa fé, porque entre nós viveu um homem santo que dedicou a sua vida aos mais pobres e marginalizados.

Ele viveu todo o segundo Império – quando já era pároco de Três Pontas – viu o Golpe de Estado Republicano e viveu e faleceu na Primeira República.

Qual era a santidade do Beato Padre Victor: ele viveu a santidade no cotidiano do exercício do seu ministério sacerdotal: santificou o povo e se santificou celebrando a Santa Missa, batizando as crianças, casando aos nubentes, dando a unção dos enfermos aos doentes e moribundos, sepultando os mortos com os sacramentos. Ele percorreu toda a área rural da Paróquia e colaborou em outras Paróquias como em Boa Esperança – já que Coqueiral não existia ainda onde se tem uma árvore aonde ele descansava de seus labores sacerdotais. Era incansável no anúncio do Reino de Deus e foi um exímio catequista. Mais do que a parte espiritual – que era impecável – ele cuidou da vida material do povo sofrido, particularmente dos escravos – quando proporcionou o estudo com a fundação da Escola Sagrada Família. Cuidou dos doentes fundando o Hospital de Três Pontas.

Despojado tudo o que tinha era dado aos mais pobres e necessitados. Não retinha nada para si. Viveu uma via de profunda ascese e muita simplicidade. A Casa Paroquial era permanentemente aberta para aqueles que mais precisavam. Todos os que chegavam partilhava de sua mesa e tudo o que era seu era de todos.

O Beato Padre Victor sofreu muitas humilhações por parte dos ricos fazendeiros de Três Pontas. Suportou todas as humilhações com resiliência – em plena escravidão – ele negro edificou seus paroquianos pela persistência e pela humildade. Mas a sua voz ecoou todo o Sul de Minas conclamando o povo a alforriar seus escravos e clamava pelo fim da infame escravatura.

O Beato Padre Victor é o primeiro ex-escravo brasileiro elevado às honras dos Altares. Que nós possamos, aprendendo do Anjo Tutelar do sul de Minas a vivera santidade, a acolher a todos, a não fazer acepção de pessoas por causa de cor e de condição social, e a socorrer os que mais precisam de nossa assistência.

O Papa Francisco disse no Ângelus do dia seguinte de sua beatificação que: “Em Três Pontas, no Estado de Minas Gerais, no Brasil, está proclamado beato dom Francisco de Paula Victor, sacerdote brasileiro de origem africana, filho de uma escrava. Pároco generoso e excelente na catequese e na ministração dos sacramentos, se distingue sobretudo pela sua grande humildade. Possa o seu extraordinário testemunho servir de modelo para todos os sacerdotes, chamados a ser humildes servidores do povo de Deus.”

A vida do Beato Padre Victor de Três Pontas é um eloquente exemplo para nós – os sacerdotes – e para todo o povo de Deus. Somos chamados, neste tempo de Sínodo da Sinodalidade – a anunciar o Evangelho e sermos os primeiros catequistas para educar nosso povo que está tão carente dos valores do Evangelho. Que o Beato Padre Victor nos inspire neste bom propósito!

Beato Padre Victor, rogai por nós!

 

Padre Wagner Augusto Portugal.

Você também pode gostar